Hidrelétrica Estreito: novo estudo

A equipe do Ibama diz que é impossível fazer o estudo pedido pela Justiça Federal de Imperatriz, na sentença que paralisa as obras da usina de Estreito e que acata os argumentos do Ministério Público Federal (MPF) do Maranhão.

O estudo da área de abrangência de Estreito, no rio Tocantins, conforme a determinação judicial em primeira instância, deverá incluir a região de Lajeado a Tucuruí (700 quilômetros).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Cordel da Energia

A Amazônia e a Reserva Nacional de Cobre e Associados (RENCA)

Qual, é afinal, o papel da Funai?