terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Assoreamento do rio Madeira vai afetar a Bolívia

Em nota técnica para a Aneel a Enersus - consórcio vitorioso do leilão da usina de Jirau - explica que  "os resultados obtidos [ com os prognósticos de sobrelevações de nível d’água] têm uma incerteza acentuada e devem, assim, ser considerados com a devida precaução em razão da impossibilidade de se eliminar a incerteza sobre a estimativa da magnitude do assoreamento e, conseqüentemente, o efeito sobre o remanso."

Resumo: o assoreamento da usina de Jirau não pôde ser dimensionado nos estudos e as conseqüências aparecerão nos primeiros anos de operação do reservatório. Aí já será tarde demais.  A Bolívia deverá ser afetada. TM

Crime de improbidade administrativa

O Ministério Público Federal deverá ajuizar processos criminais contra o presidente do Ibama, Roberto Messias Franco e o diretor de licenciamento ambiental, Sebastião Custódio, assim que a liminar por ato de improbidade administrativa for concedida pelo Juiz de Rondônia. TM

Interesses do país?

Estranhamente, a Odebrecht anunciou, em 11 de Dezembro, que não vai mais questionar na justiça as decisões dos órgãos do governo sobre a mudança de Jirau. A nota diz que é "em nome dos interesses do país". TM

Nenhum comentário:

Postar um comentário