segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Mineração: Belo Monte, Teles Pires e Tapajós

A forma escura irregular é o desenho do reservatório. Os quadrados hachurados em vermelho
são as áreas dos processos minerários e os respectivos números no DNPM

Por Telma Monteiro

Relembrando a Belo Sun Mining e o projeto de mineração em Belo Monte, aproveito para acrescentar aqui mais algumas informações importantes. 

Uma delas é que na mesma área das escavações dos túneis para desvio das águas do rio Teles Pires, nas obras da hidrelétrica Teles Pires, constam três processos minerários (entre dezenas de outros) que me chamaram a atenção, e que têm autorização de pesquisa concedida para a Votorantim Metais Zinco S.A. 


Esses processos da Votorantim, de Antonio Ermírio de Moraes,  foram prorrogados por três anos e expiram em setembro de 2014. Há também outro processo minerário de pesquisa de ouro de uma empresa chamada Apiacás Mineração Ltda.  que deve ser fantasma, pois é impossível localizá-la.

Postei mapas editados por mim (do EIA e do Sigmine) para ilustrar, e que mostram as estruturas principais, a barragem, o desenho do reservatório da UHE Teles Pires e os processos minerários com os respectivos números no Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). 

Meu objetivo é reforçar o fato de existirem interesses de grandes empresas na mineração no entorno - áreas de influência direta e indireta - dos projetos hidrelétricos na Amazônia. Há que se considerar, também, que esses processos minerários se sobrepõem na região das obras da UHE Teles Pires datam de 2007, quando já estavam planejados os cinco empreendimentos hidrelétricos para barrar o rio Teles Pires. A mesma situação ocorre na região dos projetos hidrelétricos do Tapajós. 

Leia mais sobre o assunto em Mineradoras valem ouro nos projetos hidrelétricos do Tapajós e Teles Pires

Nenhum comentário:

Postar um comentário