Hidrelétrica Santo Antônio do Jari: estudos ambientais aprovados pelo Ibama


O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, (IBAMA) já publicou no Diário Oficial a aprovação dos estudos ambientais da hidrelétrica Santo Antônio no rio Jarí. O prazo de 45 dias para os pedidos de audiências públicas começou a contar.
Não foi possível encontrar o EIA/RIMA no site do Ibama. Ele está disponível em papel, apenas, nas sedes do Ibama do Pará e Amapá.
A matéria completa sobre a hidrelétrica Santo Antônio do Jari foi publicada neste Blog, em julho de 2008. Esse é um projeto polêmico da lavra do Senador José Sarney, eleito pelo Amapá, que anunciou hoje o total apoio do PMDB para eleger Dilma Rousseff presidente. Sarney padrinho e mentor do Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, domina o setor de energia no Brasil e Dilma, se for eleita com sua ajuda, vai manter esse status quo.
Confira a história da hidrelétrica Santo Antônio do Jari.

Rio Jari: hidrelétrica para produzir celulose no coração da Amazônia

Rio Jari: energia para celulose
Telma Monteiro

Jari é uma variação da palavra indígena airi. Significa "rio da castanha". O rio Jarí é afluente na margem esquerda do rio Amazonas e limita os estados do Pará e Amapá.

O município de Laranjal do Jari (Amapá) tem aproximadamente 37 mil habitantes às margens do rio e que vivem em palafitas de até dois andares. Laranjal do Jari já foi a campeã em prostituição infantil. A hidrelétrica no rio Jari acabaria com a exuberante Cachoeira de Santo Antônio e só beneficiaria a empresa Jari Celulose e sua indústria poluente de papel. Continua


Comentários

  1. Sou morador de Laranjal do Jarí, e gostaria de saber a onde mora essa dona Telma. Minha querida a senhora tem que morar um tempo aqui em Laranjal, para saber a realidade desse povo. Se nos perdemos a oportunidade dessa usina, seria o fim. Estamos precisando urgentemente de emprego, pois metade do nosso povo está vivendo na miseria, a maioria das adolecentes se prostituem, pois não tem o que comer. Dai vem uma pessos que deve morar em um apartamento confortavel, onde tem de tudo falar só besteira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você realmente mora em laranjal do jari, sabe muito bem que o município não se encontra neste estado. As condições não são boas porem não se encontra desta maneira que você afirma. Eu sou morador deste município e não é esta forma que esta nossa cidade.

      Excluir
  2. Caro Trajano,
    Não moro num apartamento confortável, onde tem de tudo. Moro no meio da Mata Atlântica, e enfrento se quiser sair de casa 12 quilômetros de estrada de chão sem manutenção e sem condições de ter transporte público.
    Mas o que eu quero mesmo é te contar que isso que você diz sobre melhoria de vida com a usina é pura ilusão:
    1 vai aumentar a incidência de doenças transmissíveis;
    2 vai aumentar a prostituição infantil com a chegada de trabalhadores para as obras;
    3 vai aumentar a violência;
    4 vai aumentar a disputa por terras e a grilagem
    5 vai aumentar a poluição nos rios e córregos da região devido à ocupação desordenada;
    6 o emprego que você e a sociedade precisam não pode ser conseguido às custas do sacrifício dos recursos naturais e dos ecossistemas;
    7 o emprego deve ser um direito seu e cabe ao Estado prover as condições de desenvolvimento sustentável da região para que todos tenham acesso a uma vida digna;
    Finalmente, Trajano, cobre dos seus representantes na Câmara, na Assembléia e no Congresso Nacional as medidas para que você possa desfrutar da sua vida cidadã.
    Obrigada por ter me enviado esse comentário, deu-me a oportunidade de esclarecer alguns pontos importantes.
    Estou disponível para mais esclarecimentos.
    Um grande abraço,
    Telma

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Cordel da Energia

A Amazônia e a Reserva Nacional de Cobre e Associados (RENCA)

Qual, é afinal, o papel da Funai?